Vigilância em Saúde


A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro atua fortemente na área de Vigilância em Saúde, colocando em prática um conjunto articulado de ações destinadas a controlar determinantes, riscos e danos à saúde de populações que vivem em determinados territórios. Esse trabalho é feito sob a ótica da integralidade do cuidado, o que inclui tanto a abordagem individual como a coletiva dos problemas de saúde (Portaria Ministerial nº 3.252, de 22 de dezembro de 2009). De forma mais objetiva, pode-se dizer que sua atuação abrange as ações de vigilância, prevenção e controle de doenças e agravos à saúde, constituindo espaço articulado de conhecimentos e técnicas. Os principais desafios desse trabalho são a definição de responsabilidades e a consolidação de redes de atenção à saúde; a compatibilização de territórios; e a eleição de prioridades, utilizando metodologias e ferramentas da vigilância epidemiológica. 

 
 

Linhas de Atuação

 

Análise da Situação de Saúde

Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde

Programa de Imunizações

Vigilância Ambiental em Saúde

Vigilância Epidemiológica

 
 

 

 

 

Notas Técnicas

 

 

 
Responsável: Maria Cristina Ferreira Lemos (Superintendente)
 
 

 
 

Análise da Situação de Saúde

 

O trabalho de Análise da Situação de Saúde consiste em realizar o monitoramento e a análise contínuos de dados em saúde da cidade, através do Sistema de Informação de Nascidos Vivos (SINASC) e do Sistema de Informação de Mortalidade (SIM). É feita uma avaliação do comportamento dos principais indicadores de saúde, contribuindo para um planejamento mais abrangente e efetivo, e os resultados obtidos mostram a situação de saúde da população carioca e apontam as necessidades de mudanças nas políticas públicas. 

 
 

Atividades/Ações 

 

• Investigações de óbitos de mulheres em idade fértil, infantis e fetais;

• Investigações de óbitos não fetais com causa mal definida;

• Análise espacial e espaço temporal.  

 

 

Informações importantes:

 

 

 
Responsável: Valéria Saraceni (Coordenadora)
 

 
 

Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde

A Coordenação de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde CIEVS – faz parte de uma rede de alerta e respostas rápidas às emergências em saúde pública estabelecida pelo Ministério da Saúde e atendendo a demanda do Regulamento Sanitário Internacional - RSI 2005 e compõe uma estratégia mundial de alerta e resposta. 
 
A rede CIEVS foi instituída pela Portaria MS30/2005, porém no Município do Rio de Janeiro iniciou as atividades em Março de 2009 e tem como objetivo principal de fortalecer a capacidade do Sistema Nacional de Vigilância em Saúde para identificar precoce e oportunamente os surtos e as emergências em saúde pública, a fim de organizar a adoção de respostas adequadas para reduzir e conter o risco à saúde da população. Segundo a Resolução SMSDC 1756 de Junho de 2011, são atribuições:
 
 

Atividades/Ações

 

• Recebimento e consolidação das informações sobre possíveis emergências de saúde pública, eventos inusitados, epizootias e desastres naturais, através de plantão 24 horas;
• Atuar no manejo de emergências de saúde pública, facilitando o desenvolvimento de respostas coordenadas entre os setores;
• Capturar informações e rumores na mídia (clipping) sobre circulação de doenças ou situações de risco para a saúde pública de importância municipal, estadual, nacional e internacional;
• Desenvolvimento de atividades de preparação e resposta antes, durante e após a ocorrência dos eventos de massa;
• Apoio às Áreas Técnicas da Vigilância em Saúde e aos parceiros da Rede Cievs (Defesa Civil, Anvisa,  Educação) nas atividades de detecção, notificação, verificação, resposta e monitoramento, referentes aos Riscos de Saúde Pública Nacional.
 
 
Informações importantes:
Responsável: Glaucia Brito (Coordenadora)
 

 
 

Programa de Imunizações

 

O objetivo do programa é manter coberturas vacinais dentro das metas preconizadas pelo Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde (PNI/MS), visando o controle, a eliminação ou a erradicação das doenças imunopreveníveis. O foco do trabalho é garantir um Programa de Imunizações municipal integrado e qualificado no atendimento à população. Para isso, são realizadas ações regulares de vacinação, incluindo a vacinação de rotina com as vacinas obrigatórias, as estratégias especiais, como campanhas, vacinações de bloqueios e de grupos especiais, além de notificação e investigação de eventos adversos e inusitados associados à vacinação.

 
 

Atividades/Ações

 

• Oferta de vacinação de rotina, de forma integral e igualitária, em todas as Unidades de Atenção Primária;

• Oferta de soros/imunoglobulinas na rede hospitalar municipal de referência;

• Oferta de imunobiológicos especiais em dois Centros de Referência;

• Disponibilização de informações em saúde da área de Imunização, através de material técnico-científico;

• Emissão de Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia para Febre Amarela (CIVP).

 

Outras Informações

 
 
Responsável: Nadja Greffe (Coordenadora)
 

 
 

Vigilância Ambiental

 

A Coordenação de Vigilância Ambiental atua no monitoramento e no controle dos fatores de risco presentes no meio ambiente que interferem na saúde da população. O objetivo é promover a interação entre saúde, meio ambiente e desenvolvimento, incentivando a participação da população na promoção da saúde e na qualidade de vida. Coordena ações referentes à informação, educação e comunicação em Vigilância em Saúde Ambiental.  

 
 

Atividades/Ações

 

• Visitação domiciliar, executada pelos agentes de vigilância em saúde, para detecção, diagnósticos e, se necessário, controle de vetores e sinantrópicos;

• Formação de brigadas contra a dengue em empresas, condomínios, obras e demais locais identificados como estratégicos para este tipo de ação;

• Formação de parceria com a comunidade escolar para a realização de ações com multiplicadores locais;

• Mutirões comunitários de caráter intersetorial – "ações nos bairros", com foco principal na dengue, mas também atingindo outras questões da saúde ambiental;

• Participação em eventos de massa e locais de grande circulação na cidade do Rio de Janeiro;

• Ações de promoção e educação em saúde nas questões relacionadas à saúde e ao meio ambiente;

• Atendimento às demandas recebidas pelo canal 1746;

• Diagnóstico ambiental dos distintos territórios da cidade do Rio de Janeiro.

 

Dados Epidemiológicos

 
Responsável: Rafael Pinheiro (Coordenador)
 

 
 

Vigilância Epidemiológica

 

A Vigilância Epidemiológica tem papel primordial na operacionalização de um conjunto de ações que proporcionam o conhecimento, a detecção ou prevenção de qualquer mudança nos fatores determinantes e condicionantes de saúde individual ou coletiva, com a finalidade de recomendar e adotar as medidas de prevenção e controle das doenças ou agravos. Mudanças no perfil epidemiológico das populações, traduzidas pelo declínio das taxas de mortalidade por doenças infecciosas e parasitárias e pelo crescente aumento das mortes por causas externas e doenças crônicas, levaram à incorporação das doenças e agravos não transmissíveis ao escopo de atividades da vigilância epidemiológica. O acompanhamento desse perfil propicia o planejamento e a execução de ações de prevenção e controle dos agravos nos diversos níveis de atenção à saúde.

 
 

Atividades/Ações

 

• Coleta de dados de doenças e agravos de notificação compulsória, a partir da rede local de Vigilância em Saúde;

• Acompanhamento de atividades da Rede de Vigilância em Saúde do município do Rio de Janeiro;

• Recomendação, monitoramento e avaliação de medidas de prevenção e controle de doenças e agravos no município do Rio de Janeiro;

• Educação permanente de profissionais da Rede de Vigilância em Saúde; 

• Disseminação de informações de interesse para usuários, profissionais e gestores da rede municipal de saúde.

 
 

Dados Epidemiológicos

 

 

 

Responsável: Denise Arduini (Coordenadora)
 



Serviços Serviços