Projeto Ilhas de Frescor, que se estenderá a 25 bairros, terá plantio de 650 árvores em Jacarepaguá

Publicado em 28/12/2019 - 15:50 | Atualizado em 31/12/2019 - 13:22
Praça Jauru, na Taquara, receberá o plantio de 16 novas árvores, que irão constituir uma Ilha de Frescor na localidade. Foto: Divulgação/ Fundação Parques e Jardins

Para amenizar o calor escaldante que moradores do Rio enfrentam no verão, a Secretaria do Envelhecimento Saudável, Qualidade de Vida e Eventos, através da Fundação Parques e Jardins, vai plantar 650 mudas até o final de janeiro em Jacarepaguá. O plantio, que vai ser feito em diversas praças daquela região, faz parte do Projeto Ilhas de Frescor, uma iniciativa da Prefeitura do Rio de Janeiro, que vai espalhar polos desse tipo por toda a cidade.

Para combater as chamadas ilhas de calor (fenômeno de aquecimento das regiões com alto grau de urbanização), a Prefeitura estabeleceu uma meta para ser atingida até 2030. O objetivo é que, a cada 15 minutos de caminhada, em qualquer direção, o cidadão encontre uma Ilha de Frescor. Pelo menos 25 localidades já estão programadas para receberem árvores que, plantadas mais próximas umas das outras, trazem benefícios como a redução da temperatura ambiente; a criação de microclimas mais frescos sob as copas das árvores; melhoria na qualidade do ar e até redução da poluição sonora.

Outra praça já programada para receber o plantio de mudas. Foto: Divulgação/ Parques e Jardins
Outra praça já programada para receber o plantio de mudas. Foto: Divulgação/ Parques e Jardins

 

Na fase atual, terrenos estão sendo preparados para o plantio nos bairros de Vargem Grande, Vargem Pequena, Camorim, Taquara, Curicica, Pechincha, Anil e Freguesia. A previsão é que em 30 de janeiro de 2020 todas as árvores já estejam plantadas.

– Nossa meta é plantar  Ilhas de Frescor em  todos os bairros do Rio, começando por Jacarepaguá. Com as altas temperaturas do verão, essa iniciativa significa qualidade de vida para os moradores – disse o secretário Felipe Michel.
As principais espécies, todas da Mata Atlântica, são mirindiba, sapucaia, dedaleiro, sibipiruna, abricó-de-macaco, chuva-de-ouro, aldrago, sete cascas, imbiruçu, paineira, sombreiro, algodão-da-praia, pitanga, grumixama, pau-ferro, pau-rei, pau-viola, ipê branco, ipê-roxo, pau-brasil, saboneteira, tamboril, paineira vermelha e gabiroba. As espécies, em sua maioria, não possuem raízes extensas ou altitude que atinja fiações elétricas.