Prefeitura oferece aulas virtuais para alunos das vilas olímpicas

Publicado em 11/05/2020 - 16:41 | Atualizado
Professora Cláudia Maria monta lives e envia vídeos semanais com diversas atividades de balé. Foto: Divulgação / Prefeitura do RioProfessora Cláudia Maria monta lives e envia vídeos semanais com diversas atividades de balé. Foto: Divulgação / Prefeitura do Rio
Até acabar a pandemia e a necessidade de afastamento social, as vilas olímpicas do Rio vão ‘mudar’ de endereço. Por meio da campanha “Movimente-se com a Subel (Subsecretaria de Esporte e Lazer)”, a Prefeitura do Rio está levando atividades físicas para a casa dos alunos, de todas as idades, com vídeos gravados no whatsapp pelos professores, que também fazem lives semanais. É uma forma de cuidar  do corpo e da mente e tornar o tempo livre mais saudável e proveitoso.
Como, neste período de quarentena, a preocupação com o próximo e a vontade de conscientizar devem caminhar juntos, os professores reforçam, no contato virtual com os alunos, a necessidade de redobrar os cuidados com a higiene e fazem apelo para que todos, especialmente os idosos, evitem sair de casa.

Professora de Educação Física há 34 anos, sendo seis deles na Vila Olímpica Jornalista Ary de Carvalho, na Vila Kennedy (Zona Oeste), Cláudia Maria ensina balé a 110 alunas, com uma curiosidade: quase a metade está na categoria Baby Class, de 4 a 7 anos. Para essa turminha, ela preparou uma apostila com dicas de alongamento, brincadeiras e passos mais simples.

Por semana, a professora envia quatro vídeos para as diferentes faixas etárias. Elaborou também um manual de balé, com toda técnica, para as meninas de 8 até 18 anos. Apaixonada pela sua profissão, faz duas lives a cada sete dias e até amigos e familiares das alunas têm participado das atividades.

– A iniciativa está dando super certo. É legal que a gente mata a saudade e ainda faz o exercício físico, fundamental para a saúde – disse Cláudia.

O mesmo entusiasmo tem a professora Cristiane Gonçalves, que trabalha na Vila Olímpica Mestre André, em Padre Miguel (Zona Oeste).  Ela criou um grupo no whatsapp com mais de 100 alunos para dar aula de zumba, embora ensine também balé e hidroginástica.

– Aprendo a cada dia como superar limites. É muito gratificante ver a satisfação e a gratidão de cada aluno, principalmente os da terceira idade. Alguns me mandam vídeo para eu analisar como estão indo nos exercícios. É uma troca.  Eu os incentivo e vice-versa. O professor não é nada sem o aluno.

Todo dia de manhã, ela grava a seguinte mensagem de áudio e envia no grupo virtual: “Olá, meus amores, bom dia. Tudo bem? Passando para lembrar que não devemos sair de casa. Então, a Cris vai até você, a Vila Olímpica também. Não se esqueçam: usem máscaras, álcool em gel, lavem bem as mãos com água e sabão e evitem sair de seus lares”.


Projeto mantém vínculo dos alunos com vilas olímpicas


Para o subsecretário da Subel, Michel Lima, a campanha nasceu assim que as 26 vilas olímpicas encerraram suas atividades, em 17 de março, como uma das medidas do prefeito Marcelo Crivella para evitar a propagação do vírus na cidade. O “Movimente-se” tem como objetivo  ajudar na saúde mental e física dos alunos, em meio a dias tão difíceis. Além disso, serviu para que eles não perdessem o vínculo com as vilas olímpicas e o contato com os professores. O resultado tem sido positivo.

– A aceitação é grande. Até quem não frequentava as vilas, está participando das lives e das atividades enviadas por vídeo. Essa proposta vai além do esporte, há os aspectos social, cultural e psicológico – destacou.