Parque Olímpico da Barra e Complexo Esportivo de Deodoro estão reabertos

Publicado em 28/01/2020 - 17:50 | Atualizado em 28/01/2020 - 17:52
Parque Olímpico da Barra da Tijuca. Foto: divulgação - Subsecretaria municipal do Legado OlímpicoParque Olímpico da Barra da Tijuca. Foto: divulgação - Subsecretaria municipal do Legado Olímpico

 

O Parque Olímpico da Barra e o Complexo Esportivo de Deodoro, ambos equipamentos da Subsecretaria do Legado Olímpico, estão liberados novamente para atividades esportivas. Nesta terça-feira, o desembargador da 7ª Turma Especializada do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), Sergio Schwaitzer, suspendeu a interdição nas arenas, após analisar os recursos impetrados pela Prefeitura do Rio. A decisão vale para a realização de eventos e também para uso público.

Ciclista passeia no Parque Olímpico da Barra, nesta terça. Foto? Roberta Pinto / Prefeitura do Rio
Ciclista passeia no Parque Olímpico da Barra, nesta terça. Foto: Roberta Pinto / Prefeitura do Rio

Atletas já podem retomar os treinos?

Sim. E a população, que também faz uso dos locais, já pode voltar a frequentá-los. A liminar foi suspensa às 6h23 desta terça-feira, dia 28, com caráter imediato. A Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa) já afirmou que a equipe retomará os treinos em Deodoro nesta quarta-feira às 14h. A manutenção está sendo feita pela Prefeitura do Rio para que eles possam realizar as atividades em boas condições.

Vida normal para basquete, vôlei e canoagem

Com a paralisação das atividades, 81 atletas foram afetados por não poderem usar a Arena Carioca 3, no Parque Olímpico da Barra. Além deles, na Arena Carioca 1, a seleção brasileira feminina de basquete, que se preparava para a disputa do Pré-Olímpico, precisou deixar de treinar no local, assim como a equipe de basquete do Flamengo, que manda suas partidas na instalação. Já em Deodoro, os atletas de canoagem foram os principais afetados pela medida. As interdições do Parque Olímpico da Barra e do Complexo Esportivo Deodoro entraram em vigor no dia 17 de janeiro. A decisão de parar as atividades nas instalações erguidas para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 foi do juiz da 17ª Vara Federal, Eugênio Rosa de Araújo.