Equipes da Prefeitura atuam para minimizar os efeitos da forte chuva na cidade

Publicado em 13/01/2020 - 07:57 | Atualizado em 13/01/2020 - 15:15
COR monitora os efeitos da chuva na cidade. Foto: Marcos de Paula/Prefeitura do RioCOR monitora os efeitos da chuva na cidade. Foto: Marcos de Paula/Prefeitura do Rio

Atualizada às 12h01 

A Prefeitura do Rio mobilizou todos as secretarias e órgãos, desde o início da madrugada desta segunda-feira,  13 de janeiro, para trabalhar nas regiões mais afetadas pela forte chuva. O Centro de Operações Rio (COR) informou que o município retornou ao Estágio de Mobilização, às 10h,  devido à redução dos acumulados de chuva e à finalização da maioria das ocorrências desta manhã. No total, 24 bolsões d’água e uma queda de árvore foram registrados pelo COR, sendo que 23 deles já foram finalizados e um ainda está em andamento (Rua Pref Olímpio Mourão Filho, em São Conrado).

A cidade estava em Estágio de Atenção desde as 5h50 desta segunda. O Estágio de Mobilização é o segundo nível em uma escala de cinco e significa que há riscos de ocorrências de alto impacto na cidade.  Segundo o Alerta Rio, permanece a previsão de chuva fraca a moderada a qualquer momento do dia, podendo ser forte de forma isolada e em curtos intervalos de tempo. Devido à passagem de uma frente fria pelo oceano, o tempo fica instável na cidade do Rio ao longo desta segunda-feira.

A Defesa Civil do município informou que sirenes da Rocinha, Cantagalo e Pavão-Pavãozinho foram acionadas, mas não houve registro de ocorrências. Mesmo assim, técnicos do órgão foram a estas localidades para auxiliar e orientar os moradores. Equipes de engenheiros estão de prontidão para atendimento de eventuais chamados.

BOLSÕES D’ÁGUA: Durante toda a manhã, equipes da Prefeitura atuaram na desobstrução de bueiros nas vias da cidade. Mais cedo, chegaram a ser interditadas a saída da Rua Humaitá para a Av Borges de Medeiros (Rua Prof Abelardo Lobo); a Rua do Catete, na altura da Rua Silveira Martins; e a Avenida Epitácio Pessoa, sentido Túnel Rebouças, a partir da altura da R. Maria Quitéria. Também foram fechados os acessos do Túnel Rebouças ao Humaitá e à Avenida Borges de Medeiros, devido ao acúmulo de água.

As vias foram sendo liberadas assim que era feita a desobstrução dos bueiros e o nível da água baixada. Os motoristas foram informados dos pontos de alagamento e das rotas alternativas por meio de 27 painéis de mensagens variáveis.

De acordo com a CET-Rio, foi montado o plano de contingência para o fechamento do Alto da Boa Vista, mas os índices previstos para bloqueio não foram alcançados. Houve ainda quatro chamados de semáforo com problemas.

 

Funcionários acompanham no COR a situação nas vias da cidade – Marcos de Paula/Prefeitura do Rio

A população deve continuar atenta, ao longo dia, pois ainda há risco de chuva intensa em curtos períodos. Em caso de chuva forte, a orientação é permanecer em local seguro e evitar o deslocamento, não forçar a passagem por áreas alagadas e respeitar os avisos das sirenes da Defesa Civil em comunidades.

Saiba mais sobre os novos estágios operacionais: http://bit.ly/novosestagios

 

Plano especial da Comlurb funciona e reduz impacto das fortes chuvas na cidade