Coronavírus: Prefeitura vem agindo desde fevereiro para proteger a população

Publicado em 01/04/2020 - 12:06 | Atualizado em 01/04/2020 - 12:32
Garis fazem ação de desinfecção em frente ao Hospital Lourenço Jorge. Foto: Marcos de Paula/Prefeitura do RioGaris fazem ação de desinfecção em frente ao Hospital Lourenço Jorge. Foto: Marcos de Paula/Prefeitura do Rio
A  Prefeitura do Rio de Janeiro vem, desde quando surgiram os primeiros casos do novo coronavírus no país, tomando medidas de combate à pandemia levando em consideração as recomendações da comunidade médico-científica e também da Organização Mundial da Saúde (OMS). Já no dia 6 de fevereiro, aproximadamente um mês antes do registro do primeiro caso na cidade, foi publicado no Diário Oficial o Plano Municipal de Contingência contra o Coronavírus.

Gabinete de Crise

O prefeito Marcelo Crivella logo determinou a criação de um Gabinete de Crise para acompanhar de perto a evolução da disseminação da doença na cidade e, no dia 13 de março, anunciou as primeiras medidas para conter o contágio do novo coronavírus. Entre elas, a suspensão das aulas na rede pública municipal.

Hospital de Campanha

Em seguida, vieram outras ações. Entre as principais medidas estão a suspensão das férias dos profissionais da Saúde; fechamento do comércio não essencial; distribuição de cestas básicas para as camadas mais necessitadas da população; construção de hospital de campanha com 500 leitos no Riocentro, afastamento social de moradores em situação de rua; desinfecção dos principais pontos de aglomeração no sistema de transporte; criação do Disk Aglomeração; drive thru para a vacinação contra a gripe; aplicativo para alunos que estão com aulas suspensas; negociação para que aviões das Forças Armadas busquem equipamentos médicos na China; parcerias com a iniciativa privada para doações.

Afastamento social

Vale ressaltar que, em todas manifestações públicas, Crivella faz questão de reforçar o apelo para que a população se mantenha em afastamento social.